Quais são as vantagens pessoais e profissionais do voluntariado?

Ao olhar para os currículos profissionais é cada vez mais vulgar encontrar pessoas que incluem experiência em voluntariado. Não é de estranhar. Através do voluntariado ganha-se uma série de competências, já que este é um trabalho que implica muitas vezes realizar uma diversidade de tarefas, que passam pelo planeamento, execução e trabalho em equipa.

Publicado por Finanças | 2
voluntarios

Em Portugal este é um fenómeno que vai também ganhando dimensão. No Inquérito ao Trabalho Voluntário realizado pelo Instituto Nacional de Estatísticas, há cerca de 1 milhão e 40 mil portugueses que se dedicam ao voluntariado. Estes dados reportam a 2012 (os dados disponíveis mais recentes) e representam 11,5% da população.

É mais fácil encontrar voluntários na faixa etária entre os 25 e os 44 anos e também entre a população com ensino superior. Além disso, também os jovens desempregados mostram grande propensão por desenvolver este trabalho. Um facto que não é estranho tendo em conta as vantagens pessoais e profissionais que é possível retirar de uma experiência de voluntariado.

Quais são os benefícios do voluntariado para a carreira profissional?

Vantagens pessoais

Quem pratica voluntariado começa por ter uma série de vantagens pessoais, entre as quais:

- Diminui o stress, uma vez que permite desligar dos problemas diários e focar a atenção nos outros;

- Fica mais otimista e mais saudável, já que sente que é possível ajudar outras pessoas;

- Sente-se realizado e aumenta a autoestima por ter a possibilidade de fazer a diferença na vida das pessoas;

- Aguça o espírito cívico ao lidar com os problemas que a sociedade enfrenta.

Vantagens profissionais

Para além destes benefícios pessoais, as pessoas que se dedicam ao voluntariado têm uma série de vantagens profissionais.

- Aprende-se muito ao desempenhar tarefas que até então nunca tinham sido realizadas;

- Descobre-se novos talentos, que não se pensava existirem;

- Aprende-se muito acerca da forma de funcionamento das instituições públicas ao ter de lidar com muitos organismos e processos;

- Ganha-se competências para trabalhar melhor em equipa, aprendendo a gerir o trabalho;

- Desenvolve-se o espírito empreendedor, uma vez que muitas vezes é necessário encontrar soluções que possam contornar a falta de recursos com que as instituições de apoio social muitas vezes se confrontam;

- Cria-se uma rede de contactos pessoais e profissionais que podem dar boas referências sobre o trabalho desenvolvido e que podem abrir novas oportunidades de carreira;

- Destaca-se num processo de recrutamento, uma vez que o facto de ter experiência em voluntariado é muitas vezes um fator preferencial de seleção.

COMENTÁRIOS

  • 2

    13/10/2017 18:00 HORAS

    Parabéns ao vosso artigo. Actualmente o Voluntariado é mais assimétrico. Maior longevidade, muitos aposentados e pessoas mais Jovens que procuram experiência profissional. Digamos que aqui está uma vantagem dupla. As. Maria Antónia Terrinha

  • 1

    01/03/2017 16:47 HORAS

    Penso que a faixa etária dos 60-70 anos, está a dar um grande contributo nas acções de voluntariado da minha zona de residência. O facto de se ter atingido a reforma e querer manter uma vida activa leva-nos a procurar ser uteis nas diversas instituições que ganham com isso.

20185
22701
5
0