Quanto custa organizar o Festival Eurovisão da Canção?

Salvador Sobral conseguiu aquilo que nenhum português tinha conseguido até à data: ganhar o Festival Eurovisão da Canção. Um prémio que colocou o país em delírio, mas que acarreta também um custo. Afinal, esta vitória implica organizar a próxima edição do festival. E isso quanto custa?

Publicado por Finanças | 0
Quanto custa organizar o Festival Eurovisão da Canção?

Os portugueses já começaram a fazer contas aos gastos que terão pela frente, começando por avaliar as despesas e as receitas que outros países despenderam nas edições anteriores. Olhando para a edição mais recente, a 62ª organizada pela Ucrânia, onde participaram um número recorde de 43 países, os valores podem ascender a 30 milhões de euros. Já as receitas estimadas com o turismo que o evento gerou em Kiev não devem ir além dos 20 milhões de euros. Se a isto somarmos as receitas em publicidade e patrocínios de 10 milhões de euros, as contas ficam equilibradas.

Mas, em regra, o que tem acontecido é as receitas não conseguirem cobrir as despesas de um evento que implica grandes investimentos. A maior disparidade aconteceu em Baku. Em 2012, para despesas de 56 milhões de euros, a capital do Azerbeijão arrecadou apenas 8,2 milhões de euros. Já Estocolmo foi um exemplo oposto. No ano passado, a capital sueca conseguiu organizar o festival gastando apenas 14 milhões de euros, gerando quase o dobro em receitas: 27 milhões de euros. Os cerca de 38 mil visitantes gastaram em média 720 euros.

Estes dados mostram que não há uma receita para organizar o Festival Eurovisão da Canção. Tudo depende das infraestruturas que os países precisam de construir e daquilo que estão dispostos a gastar. Por exemplo, na caso de Baku foi necessário construir um recinto de raiz para acolher o festival.

Como será em Portugal?

Em termos de recinto, Portugal não enfrenta estes problemas. A lista de possíveis locais para a realização do evento é encabeçada pelo MEO Arena, um espaço que pode albergar até 20.000 pessoas e é palco dos grandes concertos que passam pelo país. Mas estas são apenas hipóteses que têm sido avançadas pelos media nacionais. A emissão caberá ao canal público RTP, que já terá começado a estudar o dossier e a realizar reuniões que de destinam a dar os primeiros passos da 63ª edição do Festival Eurovisão da Canção.

Em declarações á agência Lusa, o presidente da RTP, Gonçalo Reis, considera que a realização do festival será uma “grande oportunidade” para o país. Tendo já em mãos o caderno de encargos do evento, que inclui as especificidades técnicas, o responsável disse que o tema será analisado nas próximas semanas e meses, acrescentando que é prematuro avançar com valores. Gonçalo Reis afirmou que várias marcas já demonstraram interesse em apoiar o evento e, tendo em conta o impacto que o evento terá no turismo português, nomeadamente em Lisboa, o envolvimento de várias entidades públicas será também inevitável.

COMENTÁRIOS

20185
22701
5
0