Poupança Reforma: O que é e principais características?

Os reformados e pensionistas com margem para colocar algum dinheiro de parte que possa servir como um complemento à reforma podem optar pelas contas poupança-reforma. Ainda que com rendimentos baixos - à semelhança do que acontece com os depósitos a prazo -, os juros destas contas usufruem de isenções de IRS até determinado montante, para além de outras vantagens.

Publicado por Finanças | 0
Poupança reformado

As contas poupança-reformado são uma solução para os reformados e para os pensionistas, mas obedecem a uma série de regras:

- Destinam-se a pessoas singulares que, no momento de abertura da conta, não auferem uma pensão mensal superior ao valor equivalente a três salários mínimos nacionais, que atualmente corresponde a 1455 euros.

- Cada pensionista só pode ser titular de uma conta poupança-reformado.

- Os juros destas contas beneficiam de isenção de IRS na parte do saldo que não ultrapasse 10.500 euros. Havendo um saldo superior, os juros relativos à parte que excede este valor pagam imposto.

- Havendo o caso de contas conjuntas basta apenas que o primeiro titular reúna as condições enumeradas e que os restantes titulares sejam o cônjuge ou os filhos.

Vantagens e desvantagens das contas poupança-reformado

As contas poupança-reformado são uma forma de obter remuneração em condições especiais para reformados através do pagamento de juros, não havendo qualquer risco associado.

No entanto, são mais vantajosas para quem tem pensões mais baixas e cujo saldo não excede os 10.500 euros, beneficiando da isenção de imposto sobre os juros.

Neste caso, o potencial de juros é mais elevado, ainda que - tal como os restantes depósitos a prazo - estas contas estão a ser remuneradas a juros muito baixos.

Há vários bancos a oferecer esta solução com condições variáveis e estas são algumas das vantagens que podem oferecer:

- Por regra, trata-se de contas a seis meses ou a 1 ano, renováveis automaticamente por igual período;

- Os montantes mínimos para a abertura de conta são, em grande parte dos casos, de 250 euros;

- Permitem fazer reforços a qualquer hora, ainda que os montantes mínimos possam variar de banco para banco;

- Não há impedimentos à utilização dos montantes depositados, quer em montante quer em finalidade de utilização, mas é aconselhável esperar pela data de vencimento do depósito para não haver penalizações nos juros;

- Em caso de morte do titular da conta, a isenção fiscal mantém-se até ao final do prazo contratado;

- Gozam de isenção de imposto sobre as sucessões, doações ou transmissões por morte;

- No caso das contas conjuntos e em situação de morte do primeiro titular, o dinheiro pode ser facilmente recuperado sem grandes entraves burocráticos.

TAGS:

COMENTÁRIOS

20185
22701
5
0