Regista o teu kit financeiro de sobrevivência

É daqueles que enlouquecem com as finanças pessoais? Nunca sabe onde gastou o seu dinheiro? O melhor é ter à mão um kit financeiro de sobrevivência que o ajude a controlar as despesas e a conhecer qual é o estado dos seus investimentos, sem precisar de estar pendente a todo o momento dos mesmos. Ou seja, um planificador.

Publicado por Finanças | 0
kit-financeiro-sobrevivencia

E o que devo incluir no meu kit financeiro de sobrevivência?

O Banco de Espanha apresentou 4 pontos que todos os cidadãos devem ter em conta para que as suas finanças estejam controladas e isto não se torne num pesadelo.

1. As relações bancárias.

Na altura de escolher um banco onde depositar o nosso dinheiro ou escolher um produto financeiro que se adapte às nossas necessidades concretas, devemos planear uma série de perguntas. Só desta maneira podemos estar seguros que as nossas poupanças estão a salvo:

É uma instituição idónea? Para isso, teremos que saber se está sujeita aos controlos do Estado, se tem um fundo de garantia de depósitos ou quais são os procedimentos para reclamarmos com segurança. Graças a isto saberemos se o nosso dinheiro está seguro, caso aconteça algum imprevisto.

Também deveremos perguntar antecipadamente quais as comissões que nos serão cobradas e toda a informação precisa sobre o produto que iremos contratar: só tendo todos esses dados estaremos protegidos.

Outra das questões que mais preocupam os aforradores são as soluções que se dão no caso de uma instituição contratar um produto que não tenha sido solicitado, se a conta fica a descoberto, como alterar o saldo do cartão, como devolver um recibo ou que solução haverá para não estarmos incluídos nas listas de devedores duvidosos.

2. Os cartões de crédito e débito

Hoje em dia utilizamos cada vez mais os cartões em vez de dinheiro em espécie para pagar em estabelecimentos. E ainda mais se tivermos hábitos de compras pela Internet.

Quando se pede um novo cartão, é bom lembrar que o pin deve ser um número do qual nos lembremos mas que não esteja relacionado connosco (o melhor será memorizar o que nos é fornecido pelo nosso banco). Principalmente, nunca ter o pin escrito no cartão ou na carteira onde o guardamos.

Outras questões pelas quais convém consultar a instituição bancária com a qual trabalhamos são:

- Se é necessário assiná-lo (de certeza que vai encontrar pessoas a favor ou contra disso).

-As precauções que deveremos ter para operar com o mesmo.

-O que fazer em caso de roubo ou extravio.

-Que sites da internet são seguros para fazer compras.

3. Proteção de dados pessoais

Muitas fraudes financeiras começam a partir do roubo de dados pessoais dos clientes. Para que os querem os ladrões? Pois bem, são muitas as operações financeiras que se podem efetuar a partir do número de BI, do endereço ou do número de conta da vítima; por isso, os nossos dados devem estar sempre a salvo.

Algumas das questões que devemos ter em conta para o nosso dinheiro estar seguro e que não o roubem utilizando os nossos dados pessoais, são a denúncia imediata caso nos roubem o BI, apresentando-a na instituição financeira (assim não poderão tirar dinheiro da nossa conta com o nosso documento) e, sobretudo, prestar muita atenção aos e-mails fraudulentos e à utilização da banca através da Internet: digitar sempre o endereço no navegador da instituição financeira para entrar no nosso acesso privado e ter o navegador e o antivírus atualizados para evitar que nos controlem através de programas espia.

4. Proteção perante a fraude financeira

É que, por mais cuidadosos que sejamos, estamos sempre expostos às fraudes neste setor, que atrai muita gente desonesta que se quer aproveitar das boas intenções de outras pessoas. Por isso, quando nos aparecer uma oportunidade única de investimento, antes de assinar qualquer coisa é melhor consultar especialistas profissionais de confiança (se forem alheios à instituição que nos oferece esse investimento, melhor); também é necessário saber o que fazer se lhe passarem uma nota falsa, como proteger-se disso e como as pode detetar.

Proteja o seu dinheiro da fraude financeira

Resumindo, é a lógica e o senso comum que nos ajudam a elaborar este kit financeiro de sobrevivência.

Alguns dos princípios da segurança financeira são:

-Operar sempre através de instituições registadas no Banco de Espanha.

-Pedir toda a informação, por escrito, do que vai contratar e verificá-la cuidadosamente (inclusivamente pedir ajuda a especialistas).

-Reclamar e negociar com as instituições antes de ter problemas.

-Sermos extremamente cuidadosos com os nossos dados pessoais e palavras-passe quando navegamos na Internet.

-Não se fie, à priori, numa grande oportunidade que não lhe deixam estudar minuciosamente.

Você é o responsável principal pela segurança das suas poupanças.

COMENTÁRIOS

20185
22701
5
0