Áreas Empresariais Vão Receber Investimento de 180 Milhões

O “Programa de Valorização das Áreas Empresariais” apresentado pelo Ministério do Planeamento e Infraestruturas prevê um investimento de 180 milhões de euros até 2021: 78 milhões de euros na criação e expansão de zonas empresariais e 102 milhões de euros em acessibilidades rodoviárias.

Publicado por Finanças | 0
Áreas Empresariais Vão Receber Investimento de 180 Milhões

Este novo plano de investimentos em rodovias e infraestruturas abrange as regiões Norte, Centro e Alentejo e prevê a criação e expansão das áreas empresariais. De acordo com o Governo, os acessos rodoviários para as zonas industriais vão reforçar a competitividade das regiões e terão um impacto positivo para as empresas, potenciando a criação de emprego e aumentando as exportações.

Entre 2017 e 2021, está previsto um investimento de 78 milhões de euros para a criação e expansão de áreas empresariais, através da abertura de concursos dos Programas Operacionais do Portugal 2020, aos quais as autarquias que pretendem melhorar as condições de instalação de empresas podem apresentar candidatura.

Os restantes 102 milhões de euros ficarão a cargo da Infraestruturas de Portugal. Dos projetos fazem parte a construção de 7,1 quilómetros de estrada para ligar o Parque de Negócios de Escariz com a autoestrada 32 (A32), que vai exigir uma aplicação de 26,2 milhões de euros e a requalificação do Parque Empresarial de Lanheses à Estrada Regional 305, que terá um custo de 210 mil euros.

O Norte terá seis construções e duas requalificações num total de 39 quilómetros de extensão e 82 milhões de euros de investimento. Para as áreas empresariais estão reservados 30 milhões de euros.

Já para a região Centro estão previstas uma construção e uma requalificação de 21 quilómetros, o que representa uma aposta de 15 milhões de euros. Para a criação e expansão de áreas empresariais, o investimento é o mais elevado das três regiões, ascendendo a 35 milhões de euros.

No Alentejo, prevê-se uma construção e uma requalificação, num total de cinco quilómetros, com um custo de cinco milhões de euros. Para as áreas empresariais estão destinados 13 milhões de euros.

Os critérios para este investimento passaram pela redução do tempo de percurso, o custo por quilómetro e a dimensão do tecido empresarial. Ao contrário do “Plano Estratégico dos Transportes e Infraestruturas”, um plano de investimento similar do governo anterior que se focava especialmente no transporte marítimo-portuário e ferroviário, o “Programa de Valorização das Áreas Empresariais” prioriza os acessos rodoviários que anteriormente ficaram de fora.

É de salientar a importância deste programa na potencialização de novos investimentos e na melhoria das condições daqueles que já existem, aumentando assim o número de postos de trabalho e, consequentemente, a melhoria das condições de vida das pessoas.

COMENTÁRIOS

20185
22701
5
0