Indústria do mar ganha importância na economia portuguesa

Com uma costa que tem mais de 1600 quilómetros de extensão, Portugal tem no mar uma enorme fonte de riqueza. Prova disso é que, depois das atividades ligadas à saúde e à edução, segue-se o mar na lista de setores mais importantes para a economia nacional. E a tendência será para ganhar ainda mais importância, a avaliar pelo emprego que consegue gerar.

Publicado por Finanças | 0
Indústria do mar

Muito habituados a ouvir falar de setores estratégicos nacionais como a indústria têxtil ou mesmo da importância das fábricas automóveis para a economia nacional, muitos portugueses podem não ter a perceção da importância que as atividades ligadas ao mar têm para o país.

Olhando para os números da Conta Satélite do Mar, o setor do mar engloba mais de 60 mil entidades, é o terceiro ramo de atividade que mais cria riqueza em Portugal (segundo dados do Valor Acrescentado Bruto, ou VAB) e representa 3,6% do emprego da economia nacional entre 2010 e 2013. Além disso, segundo os dados publicados pelo Instituto Nacional de Estatísticas (INE), a remuneração média de quem trabalha no setor é 3% superior à remuneração média nacional.

Estes dados divulgados em 2016 demonstram, assim, a importância de um setor que já consegue pesar mais na economia portuguesa do que, por exemplo, as telecomunicações, a agricultura, produção animal e caça ou o fabrico de pasta de papel.

As perspetivas são otimistas a avaliar pelas estimativas apresentadas pelo ex-presidente do Fórum Oceano, António Nogueira Leite. Num Roadshow da AICEP, disse que se espera que a indústria do mar aumente a contribuição para o PIB em 50%.

Empregos que existem na indústria do mar

De acordo com os resultados do estudo existem nove tipos de atividades diferentes ligadas ao mar:

- Pesca, aquicultura, transformação e comercialização dos seus produtos;

- Recursos marinhos não vivos;

- Portos, transportes e logística;

- Recreio, desporto cultura e turismo;

- Construção, manutenção e reparação naval;

- Equipamento marítimo;

- Infraestruturas e obras marítimas;

- Serviços marítimos;

- Novos usos e recursos do mar.

De todo este universo de empregos que o mar pode criar, o domínio pertence à pesca, aquicultura, transformação e comercialização dos produtos, seguindo-se o recreio, desporto, cultura e turismo e os serviços marítimos. Ao todo, o mar empregava 141 mil pessoas remuneradas em 2013, com um salário médio que é 3% superior à média nacional. 

Para ter uma dimensão do setor do mar em termos de importância para o mercado de trabalho, basta olhar para o gráfico que mostra o peso do emprego neste setor comparativamente com outros ramos de atividade. Entre 2010 e 2013, a indústria do mar era o quinto maior empregador nacional. 

COMENTÁRIOS

20185
22701
5
0