Guerra de números no mercado da música

Alguma vez sonhou ser um músico famoso? Ser artista nunca foi fácil nem terá sido para os artistas que acabaram por conquistar o sucesso e a quem tudo parece correr sobre rodas.

Publicado por Finanças | 0
Streaming do mercado da música

Com aumento do número de concertos e da quantidade de música que se ouve diariamente, era de esperar que a vida dos músicos melhorasse. A questão é que isso não aconteceu. Apesar do crescimento do negócio da música, da evolução do mercado de streaming e do aumento dos números da indústria musical, a relação entre quem edita e quem distribui música não é das melhores. 

Direitos digitais dos artistas

O que está em causa é a capacidade dos artistas cobrarem valores significativos pelos direitos digitais. Todos os artistas têm direito a uma remuneração justa pelo seu trabalho e este direito anda um pouco perdido no meio das plataformas digitais. Antes da era digital, já existiam questões legais e de princípio que regiam os direitos de autor, porém a Internet trouxe-nos a possibilidade de ouvir conteúdos de forma totalmente gratuita.

Do Youtube, que é usado em grande escala por vários utilizadores em todo o mundo, pouco se sabe da sua retribuição aos artistas. O Spotify divulgou que paga por reprodução, em média, entre os 0,005 e os 0,0074 euros. Já a Apple Music, que não divulga detalhes dos pagamentos que efetua aos seus artistas, paga cerca de 0,004 euros por reprodução, segundo a Digital Music News. Face esta situação, no dia 30 de junho de 2016, centenas de artistas, como Lady Gaga e Paul McCartney, pediram à Comissão Europeia que revisse o estatuto jurídico das plataformas de vídeo. 

Opções de mercado

Cada vez mais os utilizadores optam pelo streaming em vez de comprarem downloads. Quanto aos CD, são uma espécie quase em extinção, salvo as edições especiais que contêm extras ou as coletâneas de obras de músicos. No entanto, isto é apenas um nicho de mercado. Até o vinil, um mercado em crescimento, tem visto os seus lucros aumentarem devido à inflação dos preços praticados e não especialmente devido ao aumento do número de vendas. Nos últimos tempos, este formato transformou-se num artigo de luxo, mas esta moda acabará por ceder e dar lugar a um capricho diferente.

A música em Portugal

Em relação a Portugal, o maior destaque no mundo da música vai para o número de festivais que tem vindo a aumentar. Em 2016, verificou-se um aumento de 18% em relação ao ano anterior, realizando-se 249 festivais em território português.

Segundo a Associação Portuguesa de Festivais de Música, houve 2,1 milhões de espetadores. Apesar do sucesso destes festivais, há dificuldade em crescer e garantir novos patrocinadores, novos públicos e rentabilidade própria.

Não há dúvida de que o mercado da música vai continuar a apostar sobretudo no streaming, mas, enquanto utilizador, pode escolher ouvir música da forma que achar mais justa para os artistas e mais cómoda para si.

COMENTÁRIOS

20185
22701
5
0