Fatores chave para calcular e escolher um crédito pessoal

Na sociedade de consumo da atualidade, o recurso ao crédito pessoal é comum entre os consumidores, que se sentem justificados pela necessidade de contrair um empréstimo para acompanharem o ritmo consumista. Antes de contratar um crédito pessoal, deve analisar as características e particularidades das várias propostas de mercado, assim como inteirar-se dos direitos e deveres pela leitura cuidadosa da Ficha de Informação Normalizada (FIN). Aqui devem estar registados todos os encargos a que se sujeita ao longo do empréstimo e que podem variar mediante o montante do empréstimo, o prazo contratado, a modalidade de reembolso e o regime de taxa de juro. Tratando-se de um empréstimo para aquisição de equipamentos de energias renováveis, pagamento de despesas de saúde ou de educação, a taxa máxima é mais baixa do que para outros fins, assim como a concessão de crédito é mais fácil.

Publicado por Finanças | 0
fatores chave escolher crédito pessoal

Como escolher um crédito pessoal?

1. Analisar a real necessidade de crédito

Avalie a verdadeira necessidade de recorrer a um crédito. Se puder aguardar até que poupe o suficiente para a obtenção do bem ou serviço, é preferível. A contratação de crédito pessoal é o motivo principal para o problema do sobre-endividamento em Portugal. Tenha presente que durante meses ou anos estará preso a um compromisso financeiro.

2. Comparar a TAEG (taxa anual de encargos efetiva)

Confronte a TAEG dos vários bancos. Esta taxa inclui custos de crédito, juros, comissões, impostos, seguros obrigatórios e manutenção, e representa todos os custos associados ao crédito que está disposto a contrair. A taxa mais baixa será a melhor escolha.

3. Calcular as penalizações por amortizações antecipadas

Deve equacionar o cenário de amortização antecipada da dívida e negociá-lo com a entidade bancária ou amortizações antecipadas poderão sair muito caras.

4. Negociar mais do que um crédito

Se já tiver um crédito numa entidade, vale a pena ouvir o que ela propõe. Normalmente dois créditos na mesma instituição resultam em regalias nas taxas de juro.

5. Simular créditos

Faça várias simulações de créditos para apreciar as várias propostas de mercado (instituições e produtos) e saber qual a melhor solução para si.

Porque contratar um crédito é um compromisso financeiro com forte impacto no orçamento familiar durante muito tempo, deve ainda calcular a taxa de esforço, ou seja, a parcela do rendimento mensal que vai ser canalizada para o pagamento de créditos:

Taxa de esforço = encargos mensais com empréstimos/ rendimento x 100

Por exemplo, para uma família cujo rendimento mensal é de 1800 euros e os encargos mensais com empréstimos são de 400 euros, a taxa de esforço é de 22%.

Contudo, de todas as dicas, a mais importante: haja com responsabilidade, tanto na contratação como no cumprimento dos pagamentos mensais, como na antecipação do incumprimento.

COMENTÁRIOS

20185
22701
5
0