A importância da indústria do futebol para a riqueza do país. Pequeno estudo económico

Um estudo do Instituto Português de Administração de Marketing (IPAM) estimava que a vitória de Portugal no Euro 2016 rendesse ao país 609 milhões de euros, somando prémios de jogo, merchandising, viagens de avião, publicidade, apostas online, venda de jornais, audiências televisivas, venda de televisões e consumos de restauração. E Portugal venceu.

Publicado por Finanças | 0
A importância da indústria do futebol para a riqueza do país

Futebol desporto rei

Portugal participou em todas as fases finais de Europeus de futebol, nos últimos 20 anos, o que revela a importância da modalidade para o desporto nacional. Aliás, segundo dados do INE de janeiro de 2017, o futebol é a modalidade com maior número de praticantes, em Portugal, designadamente 28,6%.

Lucros e dívidas

A Liga de futebol portuguesa tem uma dívida imensa para gerir. Em 2015, os clubes da Primeira Liga deviam aproximadamente 600 milhões de euros a vários credores, quase o dobro da receita obtida. Há vários anos que os lucros se mantêm estagnados, ainda assim as transferências de jogadores representam 75 por cento da receita total da Liga, que em 2016 atingiram valores recordes por conta da vitória da Seleção Nacional.

Quando comparados com outras ligas europeias, a Liga portuguesa de futebol obtém lucros menores com a transmissão de direitos televisivos, porque cada clube faz os seus acordos em particular. Do mesmo modo os benefícios da publicidade, a venda de bilhetes e o merchandising são geridos por cada clube.

Estritamente relacionado com a atividade futebolística, Portugal lucrou 225 milhões de euros, em 2016, para os quais concorreram 557 jogadores contratados e 479 vendidos. 

Euro 2004

Quando, em 2004, Portugal recebeu o Campeonato Europeu de Futebol, foram construídos para o efeito seis estádios públicos. Por essa data, a construção civil e obras públicas animou-se. Nos 10 estádios utilizados durante o campeonato, foram gastos 665 milhões de euros, com uma participação do Estado Português de 104 milhões. Treze anos depois, o Estádio do Dragão, no Porto, pagou o seu investimento, mas o Estádio Magalhães Pessoa, em Leiria, continua a ser fonte de despesa para a autarquia.

F de futebol

Para além da seleção, a indústria do futebol português é agitada ainda pelos resultados dos clubes, pelas vitórias individuais dos jogadores (Luís Figo, Cristiano Ronaldo), pelo desempenho dos treinadores (José Mourinho, André Villas-Boas), assim como pelos negócios de transferências dos empresários (Jorge Mendes). Nomes que são marcas milionárias e rendem milhões em campanhas de publicidade, vendas de merchandising e cotações na bolsa.

Durante muito tempo o futebol foi o produto português mais exportado e, portanto, pelo qual o país era reconhecido internacionalmente. Depois da vitória de Portugal no Euro 2016, o estatuto de Portugal beneficiou política e economicamente. O futebol continua, pois, a ser um dos grandes embaixadores da marca Portugal no estrangeiro.

COMENTÁRIOS

20185
22701
5
0