Dados sobre a produção automóvel em Portugal

A produção de veículos automóveis, em Portugal, é sobretudo de ligeiros de passageiros. Os veículos comerciais ligeiros apresentam números muito aproximados e os veículos comerciais pesados são pouco significantes. Ainda assim foram os pesados comerciais que sofreram a menor queda produtiva, no período de crise e aqueles que têm um maior índice de crescimento, na atualidade.

Publicado por Finanças | 0
A produção de veículos automóveis em Portugal.

Balanço ACAP Fevereiro 2017

Segundo dados da ACAP, em fevereiro de 2017 produziram-se 7.695 veículos ligeiros de passageiros, menos 27,4% que em fevereiro de 2016, embora de janeiro para fevereiro tenha havido uma subida de 10,3%. No que respeita aos ligeiros de mercadorias, foram produzidos 3191 veículos, o que representa uma queda de 12,7% relativamente ao mesmo período em 2016; já o segmento dos pesados de mercadorias tiveram um aumento de 59,9%, com 515 novas unidades produzidas. Apesar de ser uma produção menor é aquela que está a ter mais resultados.

No total foram produzidas 11.401 unidades, em fevereiro. Quando comparado com fevereiro de 2016, a produção automóvel caiu 21,7%, mas sofreu subida desde janeiro deste ano.

De acordo com os números de fevereiro, constata-se mais uma vez que a maior parte da produção é para exportação (11 049 unidades ou 96,9%), dinamizando, portanto o fluxo da balança comercial. A Europa (Alemanha, Espanha, França e o Reino Unido) continua a ser o grande comprador da nossa produção para onde vão 78% das viaturas; mas a China (12,4%) representa já o segundo lugar das exportações.

Indústria automóvel: veículos e componentes

A indústria automóvel em Portugal divide-se em dois grandes ramos: a produção e montagem de veículos e a produção de componentes automóveis (baterias, vidros, pneus, estofos, rádios, travões, cablagens, caixas de velocidade...). Até ao início da década de 90 predominou o Projeto Renault e mais recentemente a Volkswagen Autoeuropa. A instalação da Autoeuropa conduziu a uma forte expansão do setor que até aí tinha tido um crescimento reduzido. 

História recente da indústria automóvel

De 1995 a esta parte, o número de fábricas reduziu para metade. Em 2009, houve uma acentuada quebra produtiva por força da crise financeira mundial e desde então que apenas quatro delas subsistem: Autoeuropa - Palmela, Peugeot Citroen - Mangualde, Mitsubishi Fuso Truck Europe - Tramagal, Toyota Caetano - Ovar.  

Em 2011, havia cerca de 180 empresas que fabricavam componentes e acessórios para automóveis registadas em 38 CAE diferentes. Esta dispersão era e é representativa do setor de atividade. No entanto, a maioria das empresas estão registadas como produtoras de partes e acessórios para veículos a motor. Dados de 2011, indicavam que trabalhavam nesta área cerca de 40 000 pessoas e que a faturação correspondia a 6 500 milhões de euros.

A fábrica da Autoeuropa continua a destacar-se das demais com 6499 unidades produzidas ou 57% da produção automóvel, em Portugal, nos primeiros meses de 2017. De referir ainda que a marca mais produzida é Volkswagen com 8 519 unidades, correspondendo a 53,8% da produção.

COMENTÁRIOS

20185
22701
5
0