Cashback: o que é e quais os cuidados a ter

Ganhar dinheiro através do uso do cartão de crédito parece ser um contrassenso quando se sabe que o uso deste tipo de cartões tem, sim, um conjunto de encargos associados. Mas é uma opção possível, embora não esteja disponível em todo o tipo de cartões. Chama-se cashback.

Publicado por Finanças | 0
Cashback: o que é e quais os cuidados a ter

O cashback é um serviço associado a determinados cartões de crédito e que permite a devolução de uma parte do valor realizado em compras com o cartão. Esse valor pode ser traduzido em dinheiro ou em crédito, que pode ter uma série de utilizações. Esse valor pode ser gasto, por exemplo, em restaurantes, hotéis ou em consumo de combustível.

Como funciona o cashback na prática?

Ao contratar um cartão de crédito com a possibilidade de cashback fica definida a taxa que será aplicada. Por regra, essa taxa varia entre 1% e 3%. Imaginando que foi acordada uma taxa de cashback de 2% e uma pessoa gasta em média 200 euros por mês em compras, o ganho será de 45 euros. A conta é feita da seguinte forma: €200 x 12 meses x 0,02 = €48.

Mas para que serve afinal esta opção?

Olhando para o ponto de vista dos emitentes dos cartões esta é, claramente, uma forma de incentivar os clientes a utilizarem o cartão de crédito. Quanto mais usam, mais valor é possível acumular. Mas, por outro lado, esta pode ser também uma forma de garantir que o crédito vai ser pago dentro dos prazos.

Do lado do cliente que possui um cartão de crédito com este serviço, esta é uma forma de conseguir poupar muito dinheiro se acumular muitos gastos num determinado tipo de despesas ao usar o cartão nessas despesas.

Juntando a isso, quanto mais avultadas forem às compras maior será o retorno. Por isso, o cliente tem vantagem em usar esta opção nas compras de valor mais elevado.

Quais são os custos associados ao cashback?

O cliente tem de olhar para as condições que constam no contrato do cartão de crédito para avaliar os encargos associados à utilização desse cartão e, assim, perceber se estes custos não suplantam os benefícios que resultam do cashback. É o caso da anuidade e da TAEG.

Além disso, pode ser exigido um montante mínimo de gastos mensais para ter acesso ao cashback. Por isso, é importante estimar a utilização mensal para avaliar se vale a pena ter a opção de cashback associada ao cartão de crédito.

COMENTÁRIOS

20185
22701
5
0