Quanta custa ter um filho?

Na maioria dos casos uma gravidez representa uma grande alegria e emoção para os pais do futuro rebento mas, nalgumas ocasiões, estas emoções podem ver-se contrariadas pela enorme soma de dinheiro que pressupõe a chegada de um bebé. É de supor que quando um casal decide ter um filho e descobrem, com surpresa, que vão ser pais, questionarão quanto custa ter um filho e começarão a fazer os seus cálculos para ver se podem enfrentar sem muitos problemas o custo que requer a alimentação e os cuidados que o bebé necessita durante o primeiro ano. Neste sentido, nas seguintes linhas trataremos de trazer um pouco de luz sobre este assunto, o qual diz respeito, sobretudo, aos pais principiantes.

Publicado por Finanças | 0
custo-ter-filho

Despesa média de um bebé durante o seu primeiro ano de vida

Hoje em dia a despesa média que uma família tem durante o primeiro ano de vida de um filho é de 6.200 euros. Não obstante não se assuste, pois o habitual é que, com a chegada do bebé, a restante família se vire para o novo membro da família e para os seus pais e que os ajudem, na medida do possível, a resolver a sua situação económica para que não falte nada ao bebé. Além disso, se recorrer a uma série de pistas e conselhos poderá reduzir consideravelmente as despesas do bebé durante os seus primeiros meses.

No que é que se pode poupar quando se tem um filho?

- Quarto: possivelmente é uma das primeiras questões que passa pela cabeça dos pais quando recebem a notícia de que esperam um filho. É neste momento que terá de ser cauteloso e jogar na antecipação para não cair no esbanjamento de dinheiro. Deve pensar que o adequado é preparar um local para o bebé numa perspetiva de futuro.

As crianças crescem muito rapidamente, pelo qual terá que ter em conta que o mobiliário deve ser prático também para quando elas forem um pouco mais crescidas, dado que num abrir e fechar de olhos muitos elementos da decoração podem passar a ser completamente dispensáveis.

Por exemplo, se pensa alargar a família no futuro, aconselhamos comprar móveis e elementos decorativos de cores neutras, com a ideia de que possam servir tanto para rapazes como para raparigas. Além disso, uma boa medida para decorar o quarto é optar por pormenores em autocolante para poder desfazer-se deles facilmente.

- Fraldas: normalmente pensamos que são uma das grandes despesas que a chegada de um bebé traz consigo. Não obstante, durante o primeiro ano o custo das fraldas - por exemplo - supera escassamente os 500 euros. Mas, ainda assim, pode reduzir despesas neste ponto.

O melhor modo de poupar na compra de fraldas é adquiri-las em grandes quantidades. Logicamente, a despesa inicial será maior mas irá sendo amortizada mensalmente. Convém também lembrar que as principais marcas oferecem um bom número de promoções e cupões de desconto para as famílias. Outra alternativa, embora mais tradicional, é optar pelas fraldas de pano. Estão em desuso mas são ideais se pretende reduzir despesas.

- Alimentação: se tiver a possibilidade de dar peito ao bebé, o melhor é aproveitar este recurso. A amamentação materna nos primeiros meses pode pressupor uma poupança considerável. À medida que o bebé vai crescendo, a preparação caseira dos boiões de comida e restantes preparados é também uma opção perfeita para poupar nas despesas. De facto, um liquidificador pode tornar-se num excelente investimento para confecionar a comida do bebé.

- Equipamento para o bebé: neste caso aconselhamos adquirir unicamente os artigos fundamentais. Por exemplo, é desnecessário adquirir um mini berço para os primeiros meses, uma vez que o bebé pode usar o seu berço definitivo desde o primeiro dia. Além disso, pode conseguir artigos como cadeiras de bebé para o carro e carrinhos de bebé a preços excelentes no mercado de segunda mão. Também pode recorrer a familiares para lhe emprestarem, se já não os usam.

- Roupa: a roupa de bebé é bastante cara e tem uma vida útil muito curta. É certo que os pais querem comprar tudo aquilo que seja atraente para os seus bebés mas se se deixarem levar por este tipo de impulsos, a despesa excessiva é praticamente certa. Se as suas finanças estiverem muito apertadas, pode recorrer aos amigos e à família, que terão peças de roupa para bebés de várias idades. De qualquer modo, também pode aproveitar os saldos e os descontos de algumas lojas especializadas.

Concluindo, convém referir que muitos pais e mães que pretendem criar os seus filhos da melhor forma possível gostam de comprar revistas e livros acerca do cuidado a ter com os bebés e crianças pequenas. No entanto, é preciso lembrar que atualmente na Internet é possível encontrar qualquer tipo de informação sem ter que despender um único euro.

COMENTÁRIOS

20185
22701
5
0