Como os drones estão a mudar a economia

Um cenário em que toda a logística do mercado de entrega de encomendas está rendida a uma “frota” de drones parece ser o mais óbvio quando pensamos na importância que os drones podem ter para a economia. Mas olhar apenas para a perspetiva logística é muito redutor tendo em conta o impacto que estes aparelhos podem ter para a economia global.

Publicado por Finanças | 0
Como os drones estão a mudar a economia

Empresas como a Amazon ou a Google e os seus sistemas de entregas via drone não são, nem serão, o único tipo de empresas que podem beneficiar com a chegada dos drones. Os setores da construção, da agricultura e da energia já estão na linha da frente quando se trata de medir o peso que a utilização dos drones pode ter no desempenho de um setor.

Basta pensar no impacto que pode ter o facto de um agricultor conseguir detetar, atempadamente, a existência de pragas numa plantação. Pode ser a diferença entre ter ou não ter produtos para vender.

As petrolíferas também já fazem contas à vida. A diferença entre contratar um helicóptero e uma equipa para avaliar o estado de um oleoduto e usar um drone que faz esse trabalho em menos tempo e com uma precisão acrescida é facilmente calculável. 

Drones criam emprego

Exemplos como estes estão presentes num estudo da Goldman Sachs, que mostra o quão importantes podem ser os drones para os negócios e para a economia. Segundo números deste estudo, até 2020 serão vendidos 7,8 milhões de drones, numa receita que pode atingir os 3,3 mil milhões de dólares. Um valor que compara com apenas 450.000 vendas e uma receita de 700 milhões de dólares em 2014.

Basta olhar para estes números para perceber o impacto que esta aposta pode ter na criação de emprego. É toda uma indústria que nasce com a necessidade de garantir uma produção que dê resposta a este aumento exponencial da procura.

E a procura não virá apenas das empresas que querem melhorar a sua fiabilidade e desempenho. Virá também das entidades militares e civis que, através dos drones, querem prestar um melhor serviço às suas comunidades.

O combate aos incêndios é um exemplo claro. Um drone pode detetar atempadamente um incêndio num local remoto, permitindo enviar imediatamente os meios aéreos de combate. Ao evitar a devastação de uma área florestal é também toda a economia de uma região que fica a salvo.

Os entraves a este crescimento

Todo este impacto parece óbvio, mas não é assim tão linear uma vez que a atividade dos drones está sujeita à regulação do espaço aéreo e ainda não é consensual como tudo isso pode e deve ser feito.

A evolução dos drones e o seu potencial de mercado estão a evoluir muito mais rapidamente do que a regulação consegue acompanhar e há ainda um longo caminho a percorrer para que possam conviver no espaço aéreo com os aviões. As questões da segurança e da privacidade ainda aguardam por soluções viáveis.

COMENTÁRIOS

20185
22701
5
0