Como obter crédito para formação

Estudar implica um grande investimento de tempo e também um grande investimento monetário. Se a questão é a falta de dinheiro, há alternativas que podem ajudar as famílias a ultrapassar este obstáculo. São várias as soluções de crédito disponíveis no mercado e é uma questão de analisar quais são as mais vantajosas e se as condições são comportáveis.

Publicado por Finanças | 0
credito-estudantes

Crédito pessoal para formação

Recorrer ao crédito pessoal com a finalidade de investir em formação é a oferta de crédito mais abrangente. Sendo este o caso, a instituição bancária pode pedir um comprovativo de que o crédito está a ser usado para essa finalidade.

Neste caso, é importante ter em conta todas as características específicas do crédito pessoal e saber quais são os direitos e deveres associados. É necessário ler com atenção a Ficha de Informação Normalizada e usar a Taxa Anual Efetiva Global (TAEG) para comparar produtos. Por fim, é importante ter a certeza de que se está a fazer a opção mais correta para cada caso em particular.

Crédito com garantia mútua para estudantes do ensino superior

Se o objetivo é financiar formação no ensino superior, há uma alternativa mais atrativa, o crédito com garantia mútua para estudantes do ensino superior. Esta é uma iniciativa do Estado gerida pela Sociedade Portuguesa de Garantia Mútua que, todos os anos, renova os contratos com os bancos aderentes.

Com o objetivo de incentivar o alargamento das qualificações  académicas  dos  portugueses, o Estado lançou esta iniciativa para apoiar o esforço financeiro dos alunos e das famílias. Desta forma, é possível conseguir condições mais vantajosas comparativamente ao crédito pessoal.

Neste caso, não é preciso prestar garantias, os pagamentos são feitos mensalmente num valor fixo e, por ano, cada estudante pode receber entre 1.000 e 5.000 euros, num máximo de 25.000 euros por curso de cinco anos. Quanto às taxas, variam consoante a média do aluno, como forma de premiar o mérito, sendo certo que o spread máximo é de 1%.

Todos os anos, a Sociedade Portuguesa de Garantia Mútua define o montante máximo disponível e divulga as instituições financeiras que disponibilizam este crédito. Têm participado neste programa muitas instituições financeiras. Este crédito tem os seguintes requisitos:

- Ser cidadão nacional a frequentar uma instituição de ensino superior público ou privado, em Portugal ou no estrangeiro;

- Financiar uma licenciatura, mestrado, doutoramento ou pós-graduação;

- Financiar despesas com propinas, alojamento ou material escolar;

- Durante o período de financiamento (que pode ser entre três e cinco anos) há lugar ao pagamento de juros;

Terminado o curso, o reembolso deve ser feito entre seis e 10 anos após a conclusão do curso, mas os estudantes podem pedir carência de um ano.

COMENTÁRIOS

20185
22701
5
0