Como fazer um plano financeiro para 2017

Fazer um plano financeiro é uma boa decisão de Ano Novo. Para quem nunca o fez, esta é uma boa oportunidade para organizar a vida em termos financeiros, ganhar estabilidade e planear o futuro com maior segurança.

Publicado por Finanças | 0
plano financeiro 2017

Passo 1: Fazer o retrato da situação financeira

Como fazer planos se ainda não se conhece a real situação das finanças pessoais? Para onde vai o dinheiro? O primeiro passo deve ser, por isso, o de anotar as receitas e as despesas fixas por mês. Qual é a fatia das despesas que vai para a alimentação, para a casa, para as escolas, para os transportes, para o vestuário e calçado? É habitual haver muitas despesas extraordinárias? Há muitos encargos com o crédito, implicando uma taxa de esforço demasiado elevada?

Uma forma de avaliar a situação financeira é olhar para o ano de 2016 e ver qual é o padrão de gastos. Com todos estes dados na mão é possível ter um retrato mais fiel da realidade e perceber onde pode haver melhorias.

Passo 2: Definir objetivos

O plano deve conter objetivos de curto (um ano), médio (2 a 3 anos) e longo prazo (mais de 5 anos). Para cada fase, quais são os objetivos? Comprar um carro, mudar de casa, pagar os estudos universitários aos seus filhos, fazer uma viagem, reembolsar um crédito, começar a poupar para a reforma? Quanto é que isso custa? É importante ser realista e o mais específico possível, pois só assim é possível garantir um projeto de sucessos.

Olhando para os custos atuais, adicionado alguma margem, quanto dinheiro teria de poupar por mês para poder ter a verba necessária na altura de concretizar os objetivos?

Passo 3: Arranjar dinheiro

Perante os objetivos propostas, é importante definir um valor mensal a poupar. Mas este valor pode não ser compatível com as receitas e com as despesas mensais. Antes de começar a reduzir o valor a poupar por mês, é preciso avaliar bem as despesas. Será que não há margem de poupança? Onde é possível cortar?

Se, ainda assim, o valor ficar aquém do objetivo, o passo seguinte deve ser o de pensar se não haverá forma de conseguir receitas adicionais. Há algum trabalho extra que possa fazer? Alguma atividade de lazer poderá transformar-se numa atividade rentável? É possível rentabilizar algum imóvel? É possível renegociar créditos e contratos, mudando de fornecedores?

No final de todo este processo, é crucial que o valor a poupar mês seja realista e que também não limite totalmente qualquer margem de manobra para algumas despesas extra. Ter objetivos não significa estar aprisionado.

Passo 4: Manter-se vigilante e celebrar vitórias

Pelo menos mensalmente deve ser feita uma avaliação. Os objetivos estão a ser cumpridos? Tudo corre como o planeado? O que está a correr mal e como pode ser corrigido? Se tudo estiver a correr bem, basta manter o rumo e a vigilância, celebrando as vitórias à medida que os objetivos vão sendo cumpridos.

COMENTÁRIOS

20185
22701
5
0