Como criar o teu plano de poupança anual

A mudança de ano é um contexto especialmente propício para planear – de uma vez por todas – ser capaz de poupar. Estará a pensar que, se tivermos em conta a crise que Portugal atravessou desde 2008, poupar pode-se transformar num desejo quase impossível de cumprir. No entanto, os especialistas dizem-nos que existem sempre possibilidades de poupança. Inclusivamente em épocas de reduções drásticas de receitas é possível obter poupanças, embora mínimas. Tudo depende de que as receitas regulares superem as despesas. Mas para isso é preciso controlo. E este controlo consiste em estabelecer um planeamento. Este planeamento, por outro lado, pode passar por um plano anual de poupança. A seguir, damos-lhe a conhecer as principais caraterísticas de um plano de anual de poupança.

Publicado por Finanças | 0
plano-poupança

O plano anual de poupança, em linhas gerais

Um plano anual de poupança é um instrumento de planeamento que relaciona dois conceitos. Por um lado o dinheiro (ou seja, a realização de um montante de poupança). E, por outro lado, o tempo no qual se pode alcançar esta poupança.

Portanto, terá que ter em conta que um plano de poupança poderá ter a periodicidade que quiser: semanal, mensal, anual... Neste caso, interessa-lhe a poupança a longo prazo, associada a um plano anual.

Tenha em conta também que é conveniente que o plano anual de poupança esteja ligado a um objetivo concreto. Esta meta servirá para que não desanime nas etapas mais complicadas que o plano anual de poupança acarretará. Por outro lado, é possível que o final da poupança seja a curto prazo, para enfrentar alguma emergência. No entanto, no plano anual de poupança, o objetivo atinge-se a longo prazo. Por exemplo, uma viagem que pretenda fazer ou o pagamento do sinal da sua nova habitação. Em todo caso, trata-se de uma meta cuja realização vai-lhe proporcionar imaginação nos momentos mais difíceis do seu projeto de poupança.

As despesas que tem que incluir no plano anual de poupança

Criar um plano anual de poupança passa por efetuar um planeamento dos seus cálculos a longo prazo. Neste aspeto convém, sobretudo, fazer um controlo das despesas fixas e correntes (ou seja, por exemplo as habituais de todos os meses) e também de outras que são persistentes, mas que vai ter de enfrentá-las, todos os anos, durante períodos concretos.

A seguir, expomos algumas destas despesas fixas e, se bem que não possa diminuir algumas delas (uma vez que os seus pagamentos são obrigatórios), poderá tê-las em conta e, com base nisso, questionará também a conveniência de outras despesas:

- Habitação: pagamento de impostos, aquecimento e ar condicionado, remodelações...

- Veículo: Inspeção, seguro, gasolina...

- Escola: uniformes, livros, taxas...

- Legalidade: todo o tipo de impostos. Especialmente se for trabalhador independente.

No que diz respeito às despesas ocasionais, não se esqueça, por exemplo, das compras de Natal ou das férias de verão. Terá, obviamente, que integrar estas reservas no seu plano anual de poupança.

A digitalização do plano anual de poupança

O programa Excel, fácil de usar por qualquer utilizador de informática, é a ferramenta perfeita para criar o seu plano anual de poupança.

Em grandes traços, esta folha de cálculo servirá para somar, quer as suas despesas quer as suas receitas. Neste sentido, para cada um destes conceitos, pode introduzir duas colunas. Uma será preenchida com os nomes dos conceitos e a que se encontra colocada á sua direita terá os montantes correspondentes. Ao clicar sobre a célula que se encontra logo abaixo da última quantia registada e se clicar no ícone da soma, obterá o montante total de todas as receitas e despesas. Além disso, segundo as funções que selecionar, não custará também obter saldos, por exemplo, entre receitas e despesas.

Por outro lado, nas seguintes linhas, damos a conhecer alguns dos conceitos que não devem faltar na sua folha de cálculo:

- Estados financeiros: empréstimos, contas bancárias...

- Cálculos de balanço: hipotecas, contas de poupança...

- Plano de despesas, em função de um orçamento que efetuar.

- Redução de dívidas. Trata-se de estabelecer uma ordem de prioridades entre as suas dívidas, para que a poupança coincida com o pagamento de faturas e juros atrasados. Este alívio em encargos financeiros antigos seria "ouro sobre azul" para as suas finanças pessoais e capacidade de poupança.

Ao poder ver as listagens de entradas e saídas ajudar-lhe-á a separar o trigo do joio. Ou seja, o fundamental do acessório.

Por último, terá que tomar as precauções devidas na altura de guardar o plano anual de poupança no seu computador. Utilize um código de entrada que só você conhece e armazene-o num lugar seguro, tal como se guarda um disco rígido em condições.

COMENTÁRIOS

20185
22701
5
0